Qual é a chance de um aluno de escola pública chegar à faculdade? Segundo a “Síntese de Indicadores Sociais” do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), divulgada em 2018, apenas 25,8% dos estudantes de escolas públicas no Brasil conseguem entrar para a universidade, enquanto a taxa entre estudantes de escolas particulares chega a 74,2%. Esta é a triste realidade da educação no nosso país. Mas importantes parcerias têm ajudado a transformar esse cenário. Neste ano, oito ex-educandos do Projeto Providência foram aprovados no vestibular de diferentes faculdades de Belo Horizonte. Outros sete jovens já estão cursando a graduação. E isso só foi possível graças à parceria entre o Projeto e um de seus doadores e padrinhos, o empresário Mário Valadares.

A parceria começou há cerca de 10 anos, quando o padrinho decidiu patrocinar os estudos de crianças do Projeto Providência e oferecer a oportunidade de uma trajetória diferenciada na educação. Mário Valadares se comprometeu a custear os estudos de mais de 20 educandos do Projeto Providência em escolas particulares até a universidade.  Além da mensalidade escolar, a ajuda incluía ainda gastos com uniforme, transporte, material escolar, livros, alimentação, aulas particulares e até cursinho preparatório para o vestibular.

Segundo o padrinho, o objetivo da iniciativa é “promover uma sociedade mais crítica, oportunizando um ensino de qualidade para que todos alcancem o ensino superior, para que esses jovens possam contribuir para uma sociedade mais justa e igual para todos”, afirma Mário Valadares.

São várias histórias de sucesso. Um dos jovens apadrinhados por Mário Valadares e aprovados no vestibular é Gabriel Vitor de Oliveira, de 18 anos, que vai cursar Ciências Biológicas na UFMG. Ele frequentou o Projeto Providência na infância durante três anos. Segundo o ex-educando, a oportunidade mudou sua vida: “Se não fosse essa porta que o Mário abriu com o apoio do Projeto Providência, não saberia dizer como seria meu futuro”, afirma. Para Gabriel, o Projeto Providência é muito importante nos bairros em que atua, pois “representa esperança para as crianças e jovens, que podem ter contato com coisas que provavelmente não teriam se estivessem fora, como música, dança e esporte”.  

Já a ex-educanda Carolina Monteiro foi aprovada para o curso de Engenharia Química da PUC Minas. Com sua nota no ENEM, conseguiu uma bolsa integral de estudos. A jovem participou das atividades do Projeto Providência desde os nove anos de idade. Para ela, “o Projeto representa uma alternativa para melhorar a vida, não apenas financeiramente, mas moralmente. Lá eram ensinados valores na aula de formação ética e em simples ações do cotidiano”. Outra jovem contemplada com uma bolsa de estudos foi Rute Rodrigues, aprovada no curso de Direito da Faculdade Pitágoras. Durante os três anos que participou do projeto, Rute conta que melhorou a saúde e os estudos. “O projeto representou tudo pra mim, foi o início de tudo”, afirma. A jovem ainda deixa uma mensagem para o Projeto Providência: “Que os educadores, coordenadores e demais funcionários continuem entregando um sorriso para as pessoas, uma nova perspectiva de vida e de futuro. Que Deus continue abençoando essa caminhada e que os jovens que estão aí dentro possam ter a mesma chance que eu”, conclui a jovem.