Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

Maria, a excelsa filha de Sião,
ajuda todos os seus filhos onde quer que vivam
a encontrar em Cristo o caminho para a casa do Pai
João Paulo II – Redemptoris Mater

11Mãe da Divina Providência é o título com o qual os Padres Barnabitas, as Irmãs Angélicas de São Paulo e os Leigos de São Paulo, filhos de Santo Antônio Maria Zaccaria, veneram Nossa Senhora desde o século XVII.

Em 1988, o então Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Serafim Fernandes de Araújo, escolheu Nossa Senhora Mãe da Divina Providência como titular da Igreja de Vila Maria, bairro Jardim Vitória.

A igreja foi considerada como local propício para que se iniciasse um trabalho especial em prol dos adolescentes e crianças da “favela” Vila Maria.

Padre Mário Pozzoli, barnabita, realizou a proposta de Dom Serafim e implantou uma entidade com a finalidade específica de atender aos adolescentes e crianças de localidades extremamente pobres. A entidade recebeu o nome de “Projeto Providência”, justamente porque o Projeto foi iniciado ao lado da igreja dedicada à Maria, Mãe da Divina Providência, sendo Ela padroeira oficial do Projeto.

Feições brasileiras

O Projeto Providência cresceu e, em 2002, já atendia a mais de 2.500 crianças e adolescentes de três favelas: Vila Maria, Taquaril e Cafezal. Mas Padre Mário logo achou que Maria e o Menino, no quadro original de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, de autoria de Scipione da Gaeta, tinham feições muito diferentes das características do povo de Vila Maria. Por isso, levou à Itália a imagem original e uma foto de pessoas de Vila Maria e pediu a um escultor italiano que preparasse uma estátua de corpo inteiro, esculpida na madeira, que representasse os sentimentos e a religiosidade do quadro original, mas com feições brasileiras. Em lugar da cor vermelha, predominante no quadro original, a estátua ficou com a cor azul, conforme uma estátua que estava no Noviciado dos Padres Barnabitas, em Jacarepaguá.

Assim, a figura original de Maria Mãe da Divina Providência perdeu um pouco de suas características primitivas, mas ganhou ao representar Maria com feições mais próximas do povo brasileiro.

Nossa Senhora Mãe da Divina Providência continua protegendo seus filhos e devotos e o Projeto Providência é uma prova muito evidente desta proteção. Dom Serafim, em 1º de maio de 1999, ao ser entrevistado no interno do Projeto Providência, declarou: “ todo dia tem um milagre aqui”.

Nós temos certeza que esse milagre acontece hoje em Belo Horizonte, como aconteceu em Caná, na Galileia, porque Maria estava lá: “e achava-se ali a mãe de Jesus” (Jo 2,1). Maira, mãe de Jesus, está todos os dias no Projeto Providência.

Devoção no Brasil e no mundo

No Brasil, os Padres Barnabitas honram a Nossa Senhora Mãe da Divina Providência em todas as casas que têm em São Paulo, no Rio de Janeiro (com uma belíssima igreja a ela dedicada, no bairro do Catete), em Belo Horizonte, em Brasília e em diversas igrejas do Pará

Untitled-1Origem da devoção

Em 1708, o Padre Gennaro Maffeti, Barnabita, foi nomeado confessor extraordinário das Angélicas de Milão. Do confessionário via uma imagem que representava Maria com o Menino Jesus, venerada como Mater Divinae Providentiae, e tomou conhecimento de sua invocação. Portanto, o título não lhe era desconhecido quando, em 1716, foi transferido para São Carlo ai Catinari, Roma.

Lá encontrou, no coro superior na clausura, uma imagem de Nossa Senhora tendo nos braços uma linda criança representando a humanidade conforme a inspiração artística do pintor renascentista Scipione Pulzone da Gaeta, da escola de Rafael. Devido à semelhança, veio-lhe à lembrança o quadro das Angélicas e quando mandou fazer uma cópia idêntica, colocando-a à veneração pública, em 1732, na igreja, deu-lhe o nome de Mater Divinae Providentiae. Havia 100 anos que as Angélicas louvavam Maria Santíssima sob esse título.

A tela de Scipione fora dada aos Barnabitas de São Carlo ai Catinari pelo arquiteto responsável pela colocação de uma imagem de Nossa Senhora pintada numa parede que fora demolida. Sendo transportada para o local a ela destinado caiu, ficando em pedaços. A tela, portanto, foi como uma indenização pelo estrago causado. Logo, Nossa Senhora Mãe da Divina Providência despertou entusiasmo, foi recebida pelo povo com muito carinho atribuindo-lhe inúmeras graças obtidas sem interrupção. O corredor, onde estava o quadro, foi transformado em capela, inaugurada em 1744.

A Confraria de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência surgiu e foi aprovada, canonicamente, pelo Papa Bento XIV em 25/09/1744, enriquecida de muitas indulgências. Em 1836, o Papa Gregório XVI elevou-a à Arquiconfraria permitindo sua propagação em outras terras. Em pouco tempo, sua devoção espalhou-se por vários países da Europa e das Américas.

Fonte: http://www.loreto.org.br/nov_providencia.asp