Uma entidade filantrópica que atende a cerca de 1.600  crianças, adolescentes e jovens, na faixa etária de 2 a 18 anos, em situação de risco social, violência familiar e extrema pobreza.

O Projeto foi fundado em Minas Gerais, Belo Horizonte, na comunidade de Vila Maria, conhecida como “Favela dos Caixotes”, no Bairro Jardim Vitória, oficialmente, em 1º de maio de 1988.

A partir de um pedido especial de Dom Serafim Fernandes de Araújo, Cardeal Arcebispo, Padre Mário Pozzoli, Barnabita, reuniu estatísticas da população jovem da favela, dando início a um projeto de resgate de milhares de crianças e adolescentes.

Com a experiência de seis anos em Vila Maria e diante da necessidade da população do Taquaril, em 1994, foi implantado, neste local, a segunda unidade do Projeto denominado Projeto Providência Páscoa. E, pelas mesmas necessidades, em 2001, foi implantada a terceira unidade, no Fazendinha, Aglomerado da Serra.

Estima-se que já passaram mais de 40.000 crianças e adolescentes na Associação Projeto Providência ao logo desses anos.

 

Os princípios e ideologia institucional são:

CAUSA: Educar para vida cuidando do ser humano, com inclusão social.

MISSÃO: Educar para vida crianças, adolescentes e jovens em situação de risco social, favorecendo o desenvolvimento integral e o exercício da cidadania.

VISÃO: Ser referência no atendimento e valorização humana de crianças, adolescentes e jovens em risco social.

VALORES: compromisso, confiança, dedicação determinação, dinamismo, fé e esperança, liberdade, ousadia, respeito, responsabilidade, simplicidade, transparência.

Particularidades do Projeto Providência

A Associação Projeto Providência mantêm uma equipe multi e interdisciplinar em função de expandir o atendimento dos beneficiários às suas famílias e comunidades. Algumas particularidades contextuais foram diagnosticadas: População infanto juvenil desprovida de benefícios sociais, vivendo situações de pobreza extrema, enfrentando riscos pessoais e sociais, onde convivem diariamente com o tráfico de drogas, ociosidade, alcoolismo, abuso sexual, violência doméstica, baixa escolaridade, abandono, dentre outros.

Nas três comunidades o Projeto Providência mantém, de uma forma peculiar, um trabalho com grupos de dança, teatro, música, artes circenses, dentre outros. Os grupos são formados com os beneficiários que participam do atendimento diário do Projeto.

Os maiores problemas que enfrentamos junto às comunidades do entorno do Projeto partem de um contexto base, que é a disseminação das drogas. A equipe técnica, multidisciplinar atuante junto à rede de atendimento as crianças e adolescentes, está cada vez mais próxima dos atendidos e consegue diagnosticar a realidade. Os furtos, roubos, delitos, violência doméstica e sexual, formação de gangs, estão diretamente relacionados às drogas e consumo excessivo de álcool.

Junto à equipe técnica, a psicóloga, assistente social e pedagoga das três unidades mantém um estreito diálogo com os Centros de Saúde, Escolas, Conselhos Tutelares, Associações Comunitárias, Promotoria e regionais municipais. Há também uma participação efetiva nos Conselhos de Direitos, Frente de Defesa e Fórum dos Diretos da Criança e do Adolescente.

Considerações Finais

Mais do que transmitir conhecimentos específicos, nas ações da Associação, busca-se desenvolver valores e atitudes, promover a sociabilidade e a capacidade criativa, estimular o potencial cognitivo, propiciar uma atitude positiva frente ao conhecimento e a vontade em aprender cada vez mais. As atividades oferecidas incentivam o desenvolvimento da autonomia, levando as crianças, adolescentes e jovens a buscar sua própria qualidade de vida.

É indiscutível a importância de projetos sociais no combate à desigualdade social, um mal presente na maioria das comunidades carentes do nosso país.